Arquivo mensal: agosto 2009

>Um álbum de recordações

>

O Yo La Tengo é uma das bandas mais queridas da cena indie mundial. Com quase 25 anos de carreira, soma sonoridades contemporâneas a um clima retrô e lança canções que viram trilha sonora mundo afora. Com influências de Stooges à Burt Bacharach, o trio de New Jersey tem temas que vão de um minimalismo intimista até a parede sonora mais consistente. Desde Electr-O-Pura de 1995, a banda se fixou cenário indie pop e vem sucedendo bons álbuns e reciclando a própria receita, como no aclamado An Then nothing Turned Itself Inside Out, de 2000. Agora, parece que o Yo La Tengo faz uma auto-reflexão e revisita a própria história. Prometido para setembro, já está na rede o seu mais novo álbum: Popular Songs. Não à toa, as canções populares marcam as várias incursões do Yo La Tengo pelas últimas três décadas. As cordas da faixa de abertura, Here to fall, dão o único toque de novidade do disco, mas ao longo de quase oitenta minutos, o que se tem é um passeio pela própria discografia banda. As guitarras de Avalon or Someone Very Similar, remetem ao debut Ride The Tiger (1986). Sem ordem ou cronologia, By Two´s e I’m On My Way parecem saídas de Summer Sun (2003). Flertando com o soul e o funkadelic, os Hammonds de Periodically Double or Triple e If It’s True remontam a I Can Hear The Heart Beating As One de 1997. When It’s dark deixa clara a dose folk, mas mostrando-se o bom discípulo de Sonic Youth que é, o trio ainda tem fôlego para a longa And the Glitter Is Gone, um coro de 15 minutos de microfonias que encerra um álbum de lembranças sonoras. Apesar das saudades, memórias e do título melanólico da última faixa, James, Ira e Georgia deixam claro que o brilho não se foi e que eles ainda tem cadeira cativa no hall of fame do subpop.

Yo La Tengo – Popular Songs
Matador 2009

Up: Here to Fall
And the Glitter Is Gone
I’m On My Way

Download >>>
Download >>>

::::::

>Memórias da guerra

>

Há uma semana o Radiohead disponibilizou para venda em seu site a faixa Harry Patch (In Memory Of). A canção é uma homenagem de Thom Yorke ao veterano britânico da Primeira Guerra, Harry Patch, que faleceu recentemente aos 111 anos. No Dead Air Space, Thom relata que ouviu no rádio uma entrevista com o ex-soldado que o emocionou bastante e o inspirou a compor a canção, que fora gravada semanas antes de seu falecimento. Com o arranjo de cordas feito por Johnny Greenwood, a densa e sinuosa orquestração delata a forte influência da música de Kryzstof Penderecki sobre o Radiohead, que somada às visões de guerra da poesia Thom e sua melancólica melodia vocal, criam um triste e emocionado réquiem contemporâneo de beleza singular.

Harry Patch (In Memory Of)
2009

Radiohead

Download >>>

>Lembranças da garagem

>


O que esperar de um debut composto somente de covers e de uma banda chamada Condomínio Fode? E se essa banda tiver 25 anos de carreira? Pode parecer estranho, mas estamos falando de Yo La Tengo e sua volta às origens. Em março deste ano, o trio estadunidense se travestiu de Condom Fucks e lançou uma pequena homenagem aos seus ídolos: Fuckbook. O disco traz versões do YLT para canções do beach boy Brian Wilson, do lendário Richard Hell & The Voidoids e outros dinossauros do anos 60. O clima garage band relembra o próprio YLT dos anos 80 e o modo wannabe Sonic Youth de fazer barulho arredonda a árvore genealógica de umas das bandas mais bem sucedidas do indie rock contemporâneo.


Condo Fucks – FuckBook
Matador – 2009

Download >>>

::::

%d blogueiros gostam disto: