Enquanto isso na USP…

“Atenção drogado: se o convênio USP-PM acabar, nós que iremos patrulhar a Cidade Universitária!”

Facismo na USP

Nem é preciso dizer que o culpado disso tudo é um cara bem rodado, né não. O aparecimento oportunista de grupos radicais, facistas e intolerantes é fruto da falta de diálogo democrático, que Grandino Rodas eliminou com bombas de gás.
A sociedade ainda se vale de informações “oficiosas” na busca pela ordem social, de modo que o exercício democrático da transigência e da pluralidade são marginalizadas na carapuça da desordem. Em entrevista ao Reinaldo Azevedo, Rodas diz que “a sociedade paulista está farta de invasões”. Num quadro desses, em que imprensa e reitoria polarizam um sério debate, que diz respeito à qualidade do ensino na USP, a “manutenção da ordem” passa a ser a bandeira comum da desinformação, da ignorância, da intransigência, do oportunismo, da radicalização, da intolerância e do fascismo – tendo isso quase como uma escala crescente.
E no campo da inversões, o que nós veremos é a intolerância escudada pela polícia e a os gritos democráticos sendo sufocados por bombas de gás.

Anúncios

Publicado em 21/11/2011, em Notícias e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: