Adeus Sonic Youth…

Porra… Essa foi talvez a pior notícia do ano. Com a separação de Kim Gordon e Thurston Moore o fim do Sonic Youth parecia inevitável e aquele que poderia ser o último show da banda, acabou sendo. O Brasil pode ter selado uma carreira sônica de 30 anos de uma das mais inspiradoras, influentes e criativas bandas da história do rock. Alguma sensação minha, bem pessoal, vai adjetivando isso aqui e insistindo em alguma incerteza que possa dar a chance de que esse fim não seja absoluto.
Um dia após o anúncio da separação do casal Gordon/Moore, Lee Ranaldo estreava sua turnê solo. “É uma espécie de canção de amor que fiz pra um casal amigos queridos, que estão passando por uma barra”. Foi a frase que precedeu “Angles”, música que abriu o show no Brooklyn, em outubro, onde Steve Shelley o acompanhava.

Essa seman, em entrevista à Rolling Stone, Lee confirmou aquilo muita gente não queria ouvir:

Você acaba de voltar de uma turnê da América do Sul com Sonic Youth e como você disse, Kim e Thurston recentemente se separaram. Como isso afetou a turnê? Era algo que vinha acontecendo há algum tempo, ou foi uma coisa repentina para você?
Bem, não foi tão repentina para mim como tem sido em termos de imprensa. Na verdade, a turnê correu muito bem. […] Quero dizer, estávamos meio que na ponta dos pés e houve algumas situações diferentes na viagem, você sabe, eles não estão mais dividindo o quarto e coisas assim. Eu diria que em geral os shows foram muito bem. O que resta saber agora é o que vai acontecer no futuro. Eu acho que esses foram certamente os últimos shows por um tempo.

Você é otimista sobre o futuro da banda?
Estou me sentindo otimista sobre o futuro, não importa o que acontece neste momento. Quer dizer, cada banda segue seu curso. Estivemos juntos mais tempo do que qualquer um de nós jamais imaginou que aconteceria e foi em sua maior parte incrivelmente prazeroso. Ainda há um monte de coisas que vamos continuar a fazer. Há toneladas e toneladas de projetos, gravações e coisas desse tipo que ainda estão acontecendo, por isso há tantas maneiras em que estamos ligados uns aos outros para o futuro, tanto musicalmente como de outras formas. […] É o tipo de coisa que naturalmente aconteceu, mas foi uma boa maneira. Eu toquei meu primeiro show no dia seguinte em que Kim e Thurston anunciaram [a separação.] Isso foi completamente estranho.

Pra quem ainda não viu o último show:

Publicado em 03/12/2011, em Coisas, História, Notícias, Shows, Vídeo e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: