Arquivo da categoria: História

A primeira aparição do Led na TV

led-zeppelin-photo_150881-1920x1080

Em 1969 o bom e velho Led gravou meia hora fulminante para a Byen TV em conjunto com a Danmarks Radio na Dinamarca, num tal Gladsaxe Teen Club. O set: “Communication Breakdown”, “Dazed and Confused”, “Babe I’m Gonna Leave You” e “How Many More Times”. Aparentemente a primeira aparição do Zeppelin na TV, logo após de ter mudado o nome de “The New Yardbirds”.
Como tá num dos comentários do YouTube: “Nunca vi alguém fumar uma Telecaster desse jeito”. Isso sem contar um Bonzo completamente possuído nas baquetas… sempre foda.

Anúncios

Uma série de comerciais de sabonete dirigidos por Ingmar Bergman?

UNKNOWN_1960s_Ingmar_Bergman_on_couch

Em 1951 a indústria cinematográfica sueca entrou em greve para protestar contra os altos impostos no setor de entretenimento. Bergman, que aos 33 anos já tinha dirigido nove filmes, assinou contrato para fazer uma série de comerciais para “Sabonetes Bris”. Essa curta passagem pela publicidade rendeu uma série de oito comerciais. Reza a lenda que a única imposição feita a Bergman era de inserir no texto algumas frases que garantiam que o sabonete Bris eliminava bactérias.
Considerados os limites de tudo nessa história bizarra, o resultado da empreitada são oito microfilmes cheios de referências. Desde o primeiro, com um plano seqüência explorando os vários níveis do cenário. Animações e encenações no melhor estilo de Georges Melies. Um mini experimento 3D, lanterna mágica… enfim, pequenos passos arriscados de um diretor que pouco vimos pra além do drama. Saca aí que vale… Tá tudo em sueco, mas rola.

HIATO: um documentário sobre o primeiro rolezinho em 2000

1185488_10151920448173660_359794945_n

Em agosto de 2000 um grupo de manifestantes organizou uma ocupação em um grande shopping da zona sul carioca. Em 2008 o diretor Vladimir Seixas reencontrou os sem teto que organizaram o rolê de mais de duas mil pessoas. Com entrevistas e imagens da cobertura feita pela TV, HIATO taí pra mostrar que rolezinho não é novidade e preconceito também não.
Há uma diferença nos objetivos dos eventos de 2000 e dos atuais, mas não tem como negar que o efeito é o mesmo. Enquanto o primeiro foi um recado, o segundo é a tomada do espaço. Não dá pra esquecer que os rolezinhos começaram a ser organizados porque os bailes funis foram proibidos. É sempre uma resposta.
Impossível não comparar o rolezinho com o Occupy Wall Street, ambos são violentos por serem pacíficos, porque não infringem as regras, exceto as regras invisíveis da discriminação.

PS.: O quadro do Angeli ali em cima foi na veia, né não?!

The Priest: o encontro de Burroughs e Kurt Cobain

William Burroughs Kurt Cobain The Priest They Called Him

“Tem algo errado com aquele garoto; ele fica zangado por nada.”William S. Burroughs sobre Kurt Cobain em 1993

Em 1993, Alex Macleod, manager do Nirvana levou Kurt Cobain para conhecer William Burroughs. Reunidos fisicamente os dois conversaram por algumas horas na casa do escritor, em Lawrence, no Kansas. Mas o encontro metafísico dos dois havia acontecido um ano antes, separados por quase 3 mil km de distância.
Em setembro de 1992 Burroughs entrou num estúdio no Kansas para gravar a narração do conto “The Priest, They called him”, publicado em 1973. Dois meses depois, Kurt adicionava a trilha sonora obscura e barulhenta em Seattle. O “encontro” foi registrado num EP de edição limitada em 93.
Nenhum conto de natal jamais foi tão perturbador quanto o do padre viciado em heroína que persegue uma mala de couro no meio de junkyes, tuberculosos, mendigos, mergulhado na microfonia angustiante das canções de natal da guitarra de Kurt Cobain.

PS.: A foto da capa do release é do Gus van Sant.

tumblr_m70fl78RaR1r2onr0o1_1280

No mesmo ano a narração de Burroughs foi transformada num curta, produzido por Francis Ford Copolla.

A ficha do Bukowski no FBI

bukowski

Em 68 Bukowski tinha uma coluna em um jornal alternativo de Los Angeles, o Open City. Entre um trago, uma aventura e um texto e outro a coluna, intitulada “Notas de um velho safado”, acabou incomodando o FBI. O bureau abriu uma investigação sobre o velho safado que rendeu um relatório de 113 páginas. E o que eles descobriram? Tudo aquilo que está nas histórias do saudoso Chinaski…

Segue aqui pra ver o relatório inteiro…

005trdyfugkhjlbnmvbcvhbjnk

031srtdyfkuglhjkbhvcgfj

Apocalypse Now: O story board da ‘Marcha das Valquírias’

valk-1

“Adoro o cheiro de Napalm pela manhã

A célebre frase de Robert Duvall numa das mais antológicas cenas do cinema, quando o Tenente Coronel Kilgore (Duvall) “abre caminho” para o Capitão Willard (Martin Sheen) se embrenhar nas florestas do Vietnã atrás do Coronel Kurtz (Marlon Brando). Uma esquadrilha de helicópteros rompe o pôr-do-sol ao som da Marcha das Valquírias, de Richard Wagner.
Desenhados por Dean Tavoularis, os story boards podem ser vistos como os racunhos do símbolo de uma época, da loucura da guerra, da obra-prima de Francis Ford Coppola.

Segue aí embaixo, mas dá pra ver todos os frames lá no Empire

valk-3

valk-4

valk-5

valk-6

Mas não tem nada como ver essa cena, de novo e sempre…
“Romeo FoxTrot, vamos dançar…”

Bowie & Queen: ‘Under Pressure’ à capella

freddie_mercury_david_bowie

Lá no Youtube a galera tá numa vibe de desenterrar as masters de alguns clássicos com as trilhas isoladas de instrumentos e vocais. Tem os vocais de Kurt Cobain em Smells Like Teen Spirit, os do Thom Yorke em Creep, tem Ramble On do Led Zeppelin instrumento por instrumento e uma pá de outras trilhas. Mas essa é uma parada de fã hard na real, porque ouvir essas “isolated tracks” pode ser bem chato.
Mas numa dessas incursões por aí, bati com os vocais isolados de Freddy Mercury e David Bowie, da sessão que deu origem a Under Pressure. Mesmo eu que não sou muito chegado ao Queen, tô ligado que esse foi um dos mais marcantes encontros do rock. E tem uma sessão de estúdio cheia de histórias. Reza a lenda que Bowie estava no estúdio para gravar uma trilha e cruzou com o Queen durante as gravações de Hot Space. E aí… o que seria uma participação de backing vocals tornou-se uma parceria donde resultou o clássico Under Pressure, depois de 24h de muito pó e vinho…
Enfim, é uma parada histórica, que até resultou em livro: “Is This the Real Life?: The Untold Story of Freddie Mercury and Queen”. E se você nunca se ligou na potência vocal do Freddy, saca aí…

Ah, e claro, a versão completa… pq sempre vale…

Um filme para a Power Glove, a vovó dos kinetic games

1368378429096

Em 1989 a Nintendo dava um passo para o futuro dos games e dois para a frustração dos gamemaníacos. Para turbinar as vendas do NES a gigante japonesa lançou a Power Glove um controle sensível ao movimento e precussora dos jogos sem joystick. Apesar de ser vendida à época por menos de US$ 100,00, a complicação pra usar o equipamento e a baixa popularidade dos jogos compatíveis abandonou o brinquedo no fracasso comercial. Mas, numa época de consumo retrô, eis que a Power Glove ressurge e vai até ganhar documentário.
Nesses mais de 20 anos, muita gente ainda se dedicou à luva da Nintendo e deu a ela novas utilizações, desde acessório fashion, até player de música, como fez o DJ SideBrain.
Agora um trio de nerds viciados em games resolveu fazer um documentário pra homenagear “a luva”. O doc tá em produção, parece que “The Power of Glove” sai ainda esse ano e promete…

Há 20 anos… L7, Hole, Breeders e PJ Harvey falando do papel das minas no rock

IMAGE_1_RIOT_GRRRL_FINGER_1359314366_crop_560x412.975778546713

No dia mundial do rock… extraído de um tal Metal Express M6 da TV francesa, de dezembro de 1993. Histórico só por colocar todas essas bandas juntas, mas bem massa é ver elas simplificando um pouco as coisas e dizendo, estamos aqui pra fazer som, mas entendendo o puta valor simbólico que isso tem.
Falando nisso… onde foram parar as bandas de minas que ficaram tão longe do mainstream?

A Disney, um Chicken Little de 1943 e a manipulação das massas

ymRYCmxRNpCJJNI2hIJRpHlfOYe

Psicologia social, manipulação de informações, terrorismo, cultura do medo…
E aí, quem é a raposa?

%d blogueiros gostam disto: